BLOGGER TEMPLATES AND TWITTER BACKGROUNDS »

sábado, 25 de setembro de 2010



Ok. Ele tinha algo em especial. Afinal, me tirou do fundo do poço sem, ao menos, saber do quão funda era a minha solidão. Me deu a mão, me beijou como se tivessemos acabado de descobrir o beijo e passou a mão nos meus cabelos como se já me conhecesse há dias e soubesse exatamente de todos os meus pontos fracos. Ele despertou o meu lado mais romântico e sonhador. Eu não podia acreditar que finalmente as coisas estavam dando certo pra mim, depois de tantas escolhas erradas que já havia feito na vida. Eu sequer sabia pra onde correr enquanto ele estava na minha vida. E ele veio, cada dia mais, doce e sereno, agindo como se tivesse o mundo nas mãos e a pressa fosse sua pior inimiga. Não escondo meu choque, minha esperança e ausência de medo. Pelo contrário, procurei explicação na astrologia, nos livros, em búzios, cartas e todo o resto de enrolação que todo mundo diz existir. Eu só precisava que alguém me beliscasse e dissesse: Relaxa, Thais, não é só um sonho. As coisas finalmente estão dando certo pra você. E todos me disseram isso. Quer dizer, quase todos. Mas eu não me importava, ignorava todas as críticas e sinais negativos que você não era e nunca iria ser meu. E em um piscar de olhos, lá estavamos nós.. conversando sobre futuro, filhos, empregos. Com as mãos entrelaçadas e o coração quase saindo pela boca.

Poucas vezes na vida, ou melhor.. apenas uma vez, consegui encontrar alguém que realmente me fizesse pensar em futuro. De verdade, sabe? Sem aquela esperança boba dos casais temporários, que matam o tempo pensando em futuro, mesmo sabendo que nunca vão conseguir levar uma vida juntos. É de esperança de gente grande que eu tô falando. Eu quis que ele conhecesse minha família, mimasse meu papagaio e não tivesse hora pra sair da minha casa. E mesmo morrendo de medo, você me fazia esquecer de tudo e conseguia ser melhor do que todo o resto. Era só nós dois, no celular as cinco horas da manhã, fazendo mil declarações e sorrindo bobo. Nada mais importava. Aliás, isso era meio óbvio, não? Porque diabos eu ia ligar pro resto do mundo, se eu mal conseguia lidar com toda felicidade que explodia dentro de mim?

Demorei a acreditar que aquilo tudo era pra mim. Mas perdi as rédeas depois do primeiro Eu te amo. Eu não sabia se te abraçava pra sempre ou se segurava minha felicidade até você virar a primeira esquina, pra não te assustar. E naquele momento, eu descobri que era mais sua do que nunca. Como se já não bastasse tudo que me matava de felicidade, você ainda diz que me ama agora. Alguém tinha que avisar pra ele que isso não se faz. Não se dá tanto carinho pra um coração machucado. Eu já não tinha olhos pra mais ninguém. Ele me dava o básico de uma relacionamento e eu me portava como uma criança mimada, colocando as mãos nas orelhas, todas as vezes que alguém viesse com algum palpite tolo sobre nós. Ah, quer saber? Dane-se! Vou dar o meu melhor sem pensar duas vezes e... não me arrependi. Caramba, o que é isso? Ah sim, o alarme de perigo tocando.

Passou um, dois, três, seis meses. Abri meus olhos. Ele já não era o melhor cara do mundo. Já tinha virado mais um cara previsível. As promessas eram as mesmas de antes que não haviam sido cumpridas. Eram empurradas com a barriga, junto meu niilismo. Percebi que chegamos ao final, quando me perguntei: Cadê todo aquele amor ansioso que eu guardava dentro de mim? Ele aquietou. Meu coração de machucado pulou pra cansado. De cara incrível, você passou a ser mais um desses caras inseguros que querem abraçar o mundo, mas tem medo de dormir sozinho de noite. E todo dia, eu mato um pouquinho de você dentro de mim. Nada de músicas melancólicas e masoquismo típico do fim. Eu te mato sendo feliz. Abro as mãos e deixo as migalhas irem embora. Sem lágrimas, sem dor, sem ilusão. Eu te desejo tudo de melhor e espero que você queira o mesmo pra mim, por isso, peço pra que me deixe ir embora. Meu coração acelera, penso que não vou conseguir resistir, mas mantenho minha decisão. Coloco as mãos no seu rosto, enquanto olho pra você pela última vez e beijo delicadamente seus olhos. Sem pressa, não quero perder nenhum momento. Como um mantra, uma simpatia, uma despedida. Obrigada, eu penso. Deixo a chave em cima da mesa, bato a porta e sorrio aliviada.

16 comentários:

Aninha Duniec disse...

Que texto lindo Thais, também adoro seus surtos de inspiração! HAHAHHA *-* beijos

Stéffani Rocco disse...

aaah que lindo... tudo começa perfeito mais nem sempre continua. isso as vezes dói mais o importante é deixar as coisas acontecerem. O que tiver de ser será!
amei amei seu texto


beijão querida ;)

Eline Nascimento disse...

Esse texto foi perfeito pra hj...haha! Um dia a gente tem que descobrir que ele não aquele príncipe dos filmes da Disney e a nossa história não é de uma princesa encantada.

- JÉSSICA LOUREIRO; disse...

Nem tudo que reluz é ouro. As vezes as coisas são assim, desse jeito, mas tudo um dia passa e tudo que achávamos que era o mais certo para nós, era o mais certo sim porém só por um instante.

Obrigado por ter passado no meu blog, e adorei a parte em que meus textos estão amadurecendo, e até que eu concordo sabe ? *-*'
AH! e eu não mudei nada nele não amr :/ você que nunca seguiu :) haha. beeeijos flor ;*

A.SFo. disse...

adorei o texto, me identifiquei demais demais com a parte feliz da história.. espero que não tenha o mesmo fim. te sigo, parabéns pelo blog :)

JB disse...

Os bons e menos bons momentos da vida... Há que continuar, seguir em frente, pelos vistos é esse o grande desafio!

Bonito texto!

Beijinhos

FatoSempalavras. disse...

Certas vezes pensamos mt pouco...as pessoas vêm confundindo sonhar com o futuro,planejar com viajar mentalmente. ambos são bons, dentro de suas devidas proporções!

As pesoas até saem da vida uma das outras, mais os sentimentos permancem(?).


Vc tem uma sensibilidade muito admirável.

E, não fiquei na feliz ao ler teu perfil ao lado:

''Leonina solitária desistindo do amor''


nunca desista... fica na tua, o verdadeiro amor te procura! =)


forte abraço.

marcosvrodrigues disse...

Texto lindo, adorei.. muito inspirador...

Virei fã desse cantinho!


Se quiser, dê uma passadinha no http://occhistrabici.blogspot.com/ , onde coloco meus textos e inspirações.

Bjão!

bruna disse...

É tão bonito isso. alguém que te faz pensar no futuro *-*
Vou seguir aqui , beijos guria

Brunno Lopez disse...

O amor gratuito lhe ocorreu?
Parece que sim...
Quando definimos e definimos e definimos e ainda assim não conseguimos dimensionar o sentimento, é sim, a forma gratuita do amor.

Eu já li algumas, mas essa, me parece bastante honesta.

Lu Nascimento disse...

Tu escreves bem

(:

Amanda Guimarães disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Amanda Guimarães disse...

O MELHOR!!! ARRASOU MESMO!

Nossa amiga, estou MUITO FELIZ!
Ha um tempo atrás eu leria um texto desse cunho e pensaria " está repleto de tristeza e melancolia"... Mas dessa vez nao!
Amei o " Cheio de vida" do seu texto.
Mesmo sendo com o direcionamento que é.
Amo ver que você a cada dia cresce, como pessoa, como mulher, como escritora.
Me orgulho muito disso.
E olha, TO MUITO FELIZ mesmo por ler esse texto.
Dessa vez você se colocou como atriz principal MESMO. A vida é sua e você é a estrela... AMEI
Te amo minha loira.
MUITOS PARABENS!! i.i
PS: Vou ler de novo rrsrs

Nathy Ferreira disse...

Nossa! quanto tempo que eu não vinha aqui! Como sempre você continuar arrasando nos textos, Parabéns!

Lorena Granja. disse...

as coisas são assim mesmo. penso que a maioria das pessoas não consegue ver quando algo chega ao fim, quer forçar, continuar, mas as coisas acabam, simplesmente e você descreveu bem isso. achei lindo o texto, muito sincero.

beijos

Alê Onofri disse...

ahh.. aconteceu EXATAMENTE a mesma coisa comigo.
amanhã a gente teoricamente faz 6 meses, mas eu ainda não tive essa coragem de ''ir embora''..
sei que preciso, só não sei se consigo :S

ótimo texto! :)

ando sumida, mas sempre volto ;)

beijos querida!