BLOGGER TEMPLATES AND TWITTER BACKGROUNDS »

segunda-feira, 5 de abril de 2010



Depois de horas analisando minha vida e meus sentimentos, percebi que cansei de ser segunda opção. Passei quase toda a minha vida, vivendo de migalhas, fazendo delas o meu banquete, mas sequer consegui admitir isso pra mim. As pessoas surgem na minha vida de maneira aleatória e mesmo assim, minha desconfianca e coração colado com qualquer cola vagabunda, não deixam com que eu controle nem metade dos meus impulsos. E aí me pego em uma dúvida cruel: Mudar é necessário para viver melhor? E o que fazer com meus princípios bobos? O que fazer se não sei ser de várias pessoas ao mesmo tempo?

E aí acredito que tem coisas que realmente não mudam. E eu não quero mudar e me adaptar a coisas que me incomodam só por medo de sofrer. Mesmo depois de perceber que fui, inúmeras vezes, nada além de uma pessoa substituta, sequei as lágrimas e rapidamente espantei toda essa depressão chata, que cisma em surgir e perturbar meus dias, todas as vezes, que me deixam sozinha. E me faço acreditar cegamente de que tudo não passa da minha personalidade leonina, que insiste em viver rodeada por gente. Mesmo que essa gente não me me ame com a mesma intensidade, nem saiba reconhecer quando um coração bate mais forte.

Sei que é meio bobo, mas não consigo não me preocupar com o dia de amanhã. Como é que eu posso esperar como-quem-não-quer-nada o grande amor da minha vida aparecer se, ao menos, encontro alguém pra andar de mãos dadas comigo? E eu já passei dessa fase de acreditar que quando menos esperarmos, aparece alguém pra bagunçar nossa vida. Mas porque diabos ninguém comenta sobre os alguéns que aparecem, bagunçam nossa vida e depois vão embora sem sequer se despedir? Sempre assim. Filho feio não tem pai. Decepções amorosas funcionam da mesma maneira.

3 comentários:

C. Azevedo disse...

E ai, Luquez, bom demais?!
Faz algum tempo que eu não visto lbogs, então nem me lembro se eu já visitei o teu. Sendo novidade ou não, teu blog é surpreendetemente bom. A surpresa está no fato de eu quase nunca curtir textos de leoninas. Mas olhe só, voce é uma boa escritora.

Durma leve, pequena, não és a única que não consegue se precupar com o dia de amanhã.

C.Azevedo
www.ograndeurso.blogspot.com

' JESSICA LOUREIRO - disse...

É realmente nunca comentam sobre aqueles que se foram e que só fizeram parte de um instante.
E também como posso acreditar que virá um grande amor, se não aparece um para andar de mãos dadas. É eu já não acredito mais que um dia eu encontrarei o amor da minha vida, mas nunca deixarei de apoiar uma amiga mesmo quando ela ache que ele virá.

Adoro seus textos, ele tem um toque a La Thais Luquez. haha, obrigado por ter passado no meu blog também, e sempre venho aqui no seu. *o*

bem te vi ontem no shopping ;x

Amanda Guimarães disse...

A M E I!
Minha Clarice Lispector.
Acho interessantissimo como você consegue falar do mesmo assunto varias vezes de forma tão diferente.
Nem sabia que tinha tanta coisa pra falar sobre o amor.
Sei uma coisa... TE AMO MUITO! ;)