BLOGGER TEMPLATES AND TWITTER BACKGROUNDS »

quarta-feira, 7 de abril de 2010



Depois de tanto perturbar o juízo dos meus amigos, com meus problemas inventados ou descobertos, decidi que é melhor guardar só pra mim, toda a tristeza inconstante e aleatória que vive me perseguindo. Mesmo morrendo de medo de que isso possa se tornar uma depressão ou uma rotina entediante, sigo em frente. Não luto contra nenhuma dor que tente me atingir. Gosto de me contorcer na cama, enquanto choro sem, ao menos, saber o motivo. Não, eu não sou masoquista. Eu não gosto de sofrer e por incrível que pareça, valorizo muito mais os dias felizes (e raros) que tenho.

Penso em terapia, horóscopo, espiritismo, magia negra ou qualquer outra bobagem que possa se transformar em alguma teoria sem sentido, só pra que eu consiga viver melhor e ter na ponta da língua, explicações para as pessoas. Mas aí, paro e penso: Porque eu tenho que me explicar para alguém? Sim, dói. E eu choro e grito e bato o pé. Não me arrependo de agir como uma criança mimada em momento algum. E é isso me assusta. Enquanto todo o resto consegue fingir ser feliz em 365 dias do ano, eu admito, sem pensar duas vezes, que sou infeliz em, pelo menos, metade deles. Não, que não quero chamar atenção, muito menos, quero um monte de gente se preocupando comigo e querendo saber o tempo todo se estou me cuidando. Eu só quero ficar sozinha.

Com o passar do tempo, sem querer, descubro que a solidão é minha grande companheira. Eu gosto do silêncio e da ausência, simplesmente, porque sei me virar melhor assim. Levanto, tropeço nos meus próprios pés, mas logo depois, percebo que sei todos os passos da dança. E eu nem precisei ensaiar. Sem pensar muito, concluo que isso deve ser instinto de sobrevivência e não consigo achar a parte ruim de ser fechada e sozinha. Afinal, quem não acordou, uma vez na vida, dividido em que personalidade assumir, que atire a primeira pedra! Mas junto dela, me mandem a receita da felicidade.

9 comentários:

Camila Paier disse...

Olá querida! Não, não guarde essa tristeza em você, para você. Exale! Amigo é quem nos suporta, mesmo na nossa pior condição. Tem sempre algum por aí, perdido e cheio de compreensão pra dar hahaha
O blog anda lindo! Sempre gosto do que escreves.
Beijoca, flor

Amanda Guimarães disse...

Cada dia mais lindo ^^
Simplesmente lindo seu post...
Me orgulho tanto por ler esses seus textos... vc é tão talentosa *.*

Te amo muito.

PS: Se quiser um dia contar algo pra mim, pode fazer uma postagem, estou sempre aqui mesmo rsrsrs

Felicidade Clandestina. disse...

Teus textos sempre tão lindos ...
Mas nesse notei uma tristeza, um toque desta solidão, és transparente na hora de escrever, (L)

Sukiss disse...

Nossa adorei.. é exatamente assim que eu me sinto as vezes.. A solidão tb é minha companheira, amo o silêncio ele se faz tão necessário em certas horas..as pessoas não sabem o qt é bom passar um tempo consigo msm, no final de tudo é só respirar fundo e seguir em frente..
E não acho q vc vá entrar em depressão por causa disso..rs eu pelo menos nunca entrei..
Belo post, to querendo copiá-lo!hahahaha
bjss

Nathy Ferreira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Nathy Ferreira disse...

Não penso que solidão possa ser uma coisa boa, mas confesso que ela é uma fiel escudeira minha há algum tempo. E posso lhe garantir,pelo menos, ela é produtiva e não fala, não dá opinião, é isso que eu mais gosto da solidão.

Adoro seus textos *-*

C. Azevedo disse...

Colé!, Luquez!

Tudo bom?!
Que que voce conta?
Acho que temos algumas coisas em comum. Solidão e café fecham o meu "bonde".
Parabéns pelo texto, mostra uma realidade não só sua.
Bom trabalho

C.Azevedo
www.ograndeurso.blogspot.com

Alê Onofri disse...

ótimo texto! parabéns!
aliás, já andei lendo alguns textos e adorei também!

tô começando com meu blog agora.

beeijos!

Iasmin Flor (: disse...

Quando estou em profunda tristeza, escrevo melhor e até penso que sou melhor do que nos dias normais.
Eu daria tudo para acordar um dia sozinha, sem ninguém. Apenas com aquele gosto amargo da ressaca na boca e histórias para colocar no papel.
Mas além de tudo, gostatia também, de ser bem sucedida no meu trabalho. Porque sem namorado até vai, mas sem dinheiro não.

Solidão é bom e eu gosto que ela me visite de vez em quando, mesmo sem motivo.

Amei o texto *-*