BLOGGER TEMPLATES AND TWITTER BACKGROUNDS »

sábado, 17 de julho de 2010



Já faz tanto tempo e parece que foi ontem que você foi embora, e sequer olhou pra trás. Meu coração e meus olhos ainda agem da mesma maneira. Desordenados e cheirando a ressaca. Mas eu não quero voltar no tempo. Não espero piedade, notícias e muito menos, amor. Você não sabe mais nada sobre mim. Não sabe que deixei o cabelo crescer, qual o livro que estou lendo, com quem estou me envolvendo. Não sabe que ainda penso em nós dois de vez em quando e ainda me assusto com a maneira que você participa da minha vida. Você não sabe que passei no vestibular e uma vez ou outra, ainda procuro saber de você (Indiretamente, eu juro!). Não sabe que sua felicidade me faz feliz, mas me machuca muito. Você não sabe mais nada sobre mim e eu ainda te amo.

Eu não cresci, não pareço mais velha nem mais inteligente. Continuo acreditando que o amor é a solução e a justificativa para tudo. Meu cabelo continua tendo vida própria, meu sorriso ainda é inocente e minhas mãos permanecem suadas o tempo todo. Não me envolvi com pessoas fantásticas desde que você foi embora, não tomei coragem para terminar meu curso de inglês nem para começar o de francês. Não viajei o quanto queria, muito menos fiz tudo que eu dizia que ia fazer quando conseguisse passar para a faculdade. Eu continuo usando irregularmente os óculos, tendo enxaquecas constantes e insônias destruidoras. Não perdi a mania de descascar todo o esmalte das minhas unhas, de usar a minha mochila colorida que te assustava toda vez que me via, não deixei de comer um monte de besteiras, enquanto você é preocupado com a boa forma. Ainda tenho aquele velho hábito de só ir pra academia quando minhas calças apertam ou acordo mau humorada. Não deletei o blog que começou com a sua despedida, ainda chego antes quando marco com alguém, não consegui deixar de associar você com o shopping que frequentávamos todo domingo (Quando vejo Era do Gelo então..). Não tomei coragem pra entrar na autoescola, ainda sou viciada em tecnologia, não largo meu celular nem por um segundo.

Eu continuo sendo louca por bis branco e aqueles filmes românticos que nós sempre sabemos o final, mas fingimos ser novidade. Não perdi a esperança de encontrar o amor da minha vida e ainda escondo de muita gente, o meu lado romântico. Ainda não sei cozinhar e reconheço seu cheiro no meio de um shopping lotado de gente passando rapidamente por mim. Você não sabe nada sobre mim e levou todo o meu melhor quando foi embora. Mas assim como você não sabe nada sobre mim, eu também não faço ideia de como você esteja. Não sei se ainda tem o mesmo cheiro de tomei-banho-para-sempre, se o seu sorriso ainda continua lindo e se a sua pontualidade ainda é seu ponto forte. Não faço ideia se continua sendo virginiano demais, lotado de manias e responsabilidades, fingindo ser o homem mais forte do mundo, enquanto morre de vontade de correr pro colo da mãe quando ninguém está olhando. Não sei se ainda pensa em mim quando escuta a nossa música ou come no Spolleto. Espero que não pense em ter filhos ou levar o seu novo amor à Paris. Eu não sei nada e sei tudo.

Tenho vontade de pegar o primeiro avião e sair te procurando por aí, como nesses filmes americanos. Transbordando certeza, confiante de que você pensa em mim e só segue a vida desse jeito, para não se machucar (e me ferir de brinde). Não acredito que você seja tão egocêntrico como foi da última vez e desconfio de cada Te amo que você diz para outras pessoas. Em compensação, meu lado racional prova que não me deixou na mão. Me mostra uma série de evidências que te culpam até vida que vem e me fazem jogar a esperança no lixo, nada de colocar em baixo do tapete, não sou fraca assim. E no segundo seguinte, quando percebo que estou pensando em você, coisa que não fazia faz tempo, dou um sorrisinho de lado e me pergunto até onde vamos por alguém. Coloco a mochila nas costas e desço do ônibus rapidamente. E sorrio de novo, quando encontro quem me libertou de todos os meus medos desde que você foi embora. Pode não ser o melhor partido de todos, mas ele é exatamente como eu sonhei, cabe direitinho na minha vida e não cansa de causar um eterno rebuliço nas minhas emoções.

11 comentários:

Anônimo disse...

Namoral, seus textos são perfeitos, e me descrevem perfeitamente. Parabéns!

Nathy Ferreira disse...

eu me sinto repetitiva comentando aqui hahaha AMEI seu texto *-*

Alê Onofri disse...

mto bom texto..
impressionante como sempre uma pessoa que vc nunca viu na vida, sempre tem uma história parecida com a sua ! haha

tenho estado sumida e super ocupada.
mas sempre estou por aqui :)
obrigada pelas visitas!

beijao querida!

jefhcardoso disse...

Thais, o texto parece ser muito íntimo e sincero, e você se revela uma pessoa fascinante com a maneira como descreve as suas particularidades, os seus hábitos, as suas manias. Esse amor que não sai de você está evidente que é um apego a um momento muito bom, mas ao que me parece que continua em sua parte essencial; este momento é você Thais, que é linda e sabe viver. Que suas insônias não lhe destruam, mas antes lhe sirvam de bom tempo para leituras ou ‘fabricação’ de postagens como essa. (sorrio).


Jefhcardoso do http://jefhcardoso.blogspot.com

C. Azevedo disse...

Luquez!

E ai,coração?

Tudo certo?
Muito bom saber que voce continua escrevendo, pequena! Parabéns pelo seu texto, admito que me vi em várias partes...nunca deixamos de acompanhar os passos daqueles que marcam nossas vidas.
Bom também foi descobrir algumas coisas sobre você, és um fofa!

É nui!
C.Azevedo
www.ograndeurso.blogspot.com

- disse...

É, acho que o passado tem um gosto delicioso e que não vai sair da minha mente tão cedo.
E não vai dizer que não leu a minha mente pra fazer esse texto ? haha, adoro os seus. Nem preciso ficar repitindo; nunca deixe de lado esse dom incrível, que você possui.
beijos, beijos ;*

lsc disse...

AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAMEI AMEI SEU TEXTO.
caramba Thais você escreve muito bem,mesmo.
bjs, se cuida . :*

Camila disse...

triste e bonito.
O que é pra ser seu, sempre volta.

Brunno Lopez disse...

Quase sempre me sinto assim.
Principalmente quando diz que 'o melhor de mim ficou com você'.

Algumas vezes parece que jogamos fora a melhor parte das nossas vidas numa dança de colegial, numa festa de faculdade.

As vezes o amor não frequenta todos os lugares que pisamos.

Ana Paula disse...

Perfeito mesmo moça!^^
Fique bem com esse moço que cabe direitinho na sua vida. =)

Luciana Mira disse...

Muito bom seu texto.. ja senti a dor da partida, pude me encontrar em algumas de suas palavras.. mas ja vivo... hoje sinto a felicidade de cada reecontro, do amor, que está de volta.