BLOGGER TEMPLATES AND TWITTER BACKGROUNDS »

domingo, 20 de dezembro de 2009




Hoje eu acordei sem ter quem amar. Não que isso seja raro ou indiferente. Apenas porque sinto falta da magia, falta de todos os homens que achei que seriam os últimos que eu amaria e por isso, planejei até a cor das toalha de nossas bodas. Não dá, existe alguma mulher no mundo que não fique boba e descontrolada na frente do homem que ama? Ele vai embora e é como se nunca tivesse existido paz. Ele leva todo o meu melhor quando sai porta afora com meu coração no bolso. Sabe qual o pior disso tudo? Ele não dá a mínima. Sabe o quanto sou louca por ele e o quanto me esforçaria para tudo dar certo então, a solução parece simples, não? Se nada der certo, ele me procura. Porque não? Me coloca na reserva como se esperasse qualquer crise existencial aparecer, só pra correr pra me abraçar, como se nunca me machucasse, como se estivesse fazendo um favor para mim. E eu adoro. Conto os segundos para ele desorganizar o meu sossego e ir embora como se eu nunca tivesse existido em sua vida.

Eu saberia reconhece-lo no escuro, sem sequer um toque. O cheiro basta. E até hoje, me emociono de maneira fria, sem mover um músculo do rosto, quando sinto seu cheiro em outras pessoas. Tenho vontade de gritar e mandar todas elas não sairem de perto de mim. Nossa, como me tornei boba depois que te conheci! Não consigo ver um filme romântico, porque choro. Não consigo investir em outras pessoas, porque tenho preguiça. Não consigo amar ninguém, porque amo você. Ainda acho que o mais preocupante é adorar essa sensação de solidão. Os outros corpos não chegaram perto de me proporcionar uma estabilidade maior do que encontro quando estou sozinha. Mas te digo que é inevitável que a esperança diminua com o passar dos meses. Eu tento fielmente não esquecer seus sorrisos e manias histéricas que sempre me faziam rir, mas os dias tornam isso, cada vez mais, difícil..

Aliás, eu já te contei o quanto você me fazia feliz? Eu sempre morri de medo de você nunca conseguir deixar de ser uma pessoa tão seria e dar alguns sorrisos sem motivo, por besteira, sabe? Queria te mostrar o quanto o mundo é mais simples do que parece, mesmo parecendo tão complicado. Queria te mostrar minha coleção de histórias bobas e falar do meu passado sem pé nem cabeça, enquanto estivessemos deitados na grama e olhando pro céu. No final das contas, quando realmente gostamos de alguém, descobrimos que certas coisas, um carro do ano e melhores amigos não suprem. Nós precisamos de mais. Precisamos de um abraço masculino numa noite fria, de um beijo no olho em um momento inesperado e um sorriso instantaneo, sem motivo mesmo. Algumas pessoas só são felizes depois que descobrem o que é o amor, e as outras? Sabem exatamente como é e o quanto dói, e mesmo assim, não desanimam. Se pegam sorrindo em uma noite fria, na rua deserta, sem nenhuma companhia, pelo simples fato de ele existir para fazer seu mundo melhor.

6 comentários:

Nathy Ferreira disse...

AMEI esse texto, expressa muito como eu me sinto :S estou te seguindo também.

Fernando disse...

Vi a figura. É do Simplemente Amor, né? Esse filme é maneiro
(E não sou gay, porra)

Fernando disse...

Agora li o texto. Quem é esse filho da puta que não tá (?) com você?!

' JESSICA LOUREIRO - disse...

Tenho vontade de nunca mais te esquecer, porque as lembranças são tão boas que elas apagam as lembranças ruins, se é que elas existem de verdade.
Gosto de sofrer, ao lembrar que ele me deixou, indefesa, sem escudo e nem espada.
Mas amá-lo é tão bom quanto, quando ele volta. Quando ele volta, quando ele me pede ajuda, quando ele me faz ficar confusa mais do que antes.
Amá-lo, é uma dádiva!

' JESSICA LOUREIRO - disse...

Lua nova foi ótimo!
Adorei o comentário, bjs :*

Ana C. disse...

Agora li o texto. Quem é esse filho da puta que não tá (?) com você?![2]