BLOGGER TEMPLATES AND TWITTER BACKGROUNDS »

sábado, 8 de maio de 2010



Há certos momentos na vida que é preciso mais do que simples tristezas cotidianas para nos fazer abrir os olhos. Levamos uma mala de impulsos, desilusões e sonhos perdidos nas costas, esperando nada além do que uma mão amiga e um coração vazio para terminar com todo o eco que temos dentro do peito. Sem esquecer de que a vida não passa de um eterno retorno. Como se tivéssemos o dia pra ser feliz, mas quando o ponteiro marca meia noite, voltamos a ser tristes e solitários. Precisando sempre de novos motivos para abrir os olhos na manhã seguinte.

Enquanto perco meu tempo procurando a beleza na simplicidade, sempre chega alguém e leva o que não é meu, mas me pertence. E eu fico pensando se realmente vale a pena acreditar que ele vai perceber o quanto gosto dele, só por reparar em como eu não consigo parar de sorrir quando estou do seu lado. Fico me sentindo, cada vez mais, boba e sequer me arrependo. No final das contas, só vejo que não tenho nenhuma teoria formada sobre o amor. Logo sobre ele. Eu sempre me pego jurando de pés juntos que meu próximo romance vai ser diferente. É claro, eu vou me comportar, não vou correr atrás e vou fingir que já acordo linda e penteada, só pra ele não pensar que me preocupo (muito) se ele gosta ou não de mim. E vem cá, alguém consegue ser fiel a si mesmo 24h por dia?

Eu adoro amar alguém. Adoro dar um nome pro meu coração e justificar meu bom humor, mesmo que eu não tenha garantia de futuro. A partir do momento que alguém diz que gosta de mim, eu paro de andar cambaleando, arrumo minha postura e cuido mais de mim. Não me canso nem me descabelo. Eu vou mais vezes para a academia, estudo melhor, trabalho melhor. É algo totalmente involuntário, como se eu sempre fosse assim, mas nunca tivesse reparado. E ninguém entende nada.

Eu não me apaixono por cada par de olhos verdes que me intimidam, muito menos por braços musculosos que insistem em querer me envolver. Eu me apaixono pelo seu jeito desajeitado, pela sua mania de me encher de chocolates e beijos, por cada telefone bobo de boa noite ou até mesmo, por cada brincadeira sem sentido que insistimos em fazer. E você vem.. chega como um furacão, me enche de felicidade, me pede pra não sumir, me pede carinho, me pede pra te amar. E começa tudo de novo. Eu não fujo, não nego, não saboto. Pelo contrário, me entrego de corpo e alma. Deixo escorrer, vazar, transbordar. Deixo meu eterno retorno entrar pela porta da frente e estou sempre tentando convence-lo a ficar um pouco mais do que 24h.

8 comentários:

Alê Onofri disse...

''Eu adoro amar alguém. Adoro dar um nome pro meu coração e justificar meu bom humor, mesmo que eu não tenha garantia de futuro.'' adorei o texto todo! muuito bom!

parabéns! :D

beijos!

Amanda Guimarães disse...

" Eu me apaixono pelo seu jeito desajeitado, pela sua mania de me encher de chocolates e beijos" ...rssrrs não me contiveee ...
Lindo LINDO.
Parabéns amiga!!

Jéssica Brunelly disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Jéssica Brunelly disse...

Estou eternamente encantada, eu simplesmente me vejo neste texto, muito obriga pela visita ao meu blog.
Foi ótimo recebe-la pois assim tive a oportunidade de conhecer este blog maravilhoso.
Ultimamente encontrei um motivo que tem me feito sorrir mesmo em meio as tristeza e solidão.
Mas, em relação a amores, eu e uma grande parte da sociedade em geral acaba se machucando muito nos relacionamentos exatamente por isso: Amar com tamanha intensidade a ponto de jurar e eternidade a sentimentos que não são tão ternos assim.
Porque é para isto que vivemos: para descobrir a eternidade que têm as coisas perecíveis: eternidade que está em nós.
Sabe e eu sinto que esse amor é uma florzinha que vai desabrochando nesta terra tão complexa que é meu coração, e algum dia essa flor acaba por morrer, então eu arranco o que sobrou(olha que dói, e como dói) para então começar tudo outra vez. E percebo que por mais difícil que seja admitir o amor não era tão grande como eu julgava.
E a cada esperança que surge em nossos caminhos, nos dá força para acreditar e dizer em fim TUDO valeu apena.
È isso ai boa sorte companheira!

Abraços apertados.

Apareça por lá, será uma honra.

Parabéns pelo texto.

Jéeeh :)

Ps.: Depois dê uma olhadinha neste texto :
http://jkmoranguinho.blogspot.com/2010/04/efemera-sakura.html

Paulo Sérgio disse...

olá Thais, li alguns de seus posts, parece que vc encontou o cara certo e ele ainda não sabe, acertei?(não precisa responder) e achei muito bom, muito bom mesmo os seus textos. Você já pensou em ser escritora, cronista ou redatora? Acho que vc leva jeito!
bjos

Caio Cesar disse...

"E eu fico pensando se realmente vale a pena acreditar que ele vai perceber o quanto gosto dele, só por reparar em como eu não consigo parar de sorrir quando estou do seu lado. Fico me sentindo, cada vez mais, boba e sequer me arrependo."

Casa, comida, roupa lavada... casa comigo ?

Zoa ...

Acabei de descobrir q sou seu mais novo adimirador, vc conseguiu dizer pra mim, o q é estar apaixonado ...

LINDO...

Tatiane disse...

Thais, parabéns mais uma vez, se alguém algum dia chegou tão perto de conseguir definir o que é o amor ( é dificil ), esse alguém foi você, acho que todos quando amam se sentem dessa forma, apesar de muitos talvez não assumirem tal sentimento !
Continue a escrever, sempre, mesmo que só por hobbie !
Beeijos amorzinho =*

( é a Tati, prima da Lu, vc sabe né ? ahaha )

LSR disse...

Seus textos são muito bons, vc tem mesmo o dom das palavra! =)
Beijos!