BLOGGER TEMPLATES AND TWITTER BACKGROUNDS »

terça-feira, 18 de maio de 2010



Não suporto nem procuro perfeição. Tampouco gasto meu tempo enumerando os defeitos alheios para que meu coração mantenha uma distância saudável de quem, provavelmente, um dia, vai me machucar. Eu arrisco, chuto o balde e só invisto involutariamente (ou não) se a pessoa me fizer perder o controle e os sentidos sem, ao menos, se esforçar. E eu gosto de cada vez que ele me coloca no colo, me desorienta e faz com que minha cabeça pare de funcionar por alguns instantes. Gosto quando ele se declara com o olhar, fazendo com que minhas bochechas expressem o quanto é recíproco, corando rapidamente. Gosto quando ele me pega, me dobra, me amassa. Sem pensar no amanhã, sem pensar no mundo que espera por nós fora do sofá da sala.

Eu acredito cegamente na eternidade de cada olhar, gesto e sentimento. E deve ser por isso que não consigo encontrar alguém para ser feliz sem prazo de validade. Eu procuro intensidade e coragem na mesma pessoa. Procuro alguém que me ame sem limites e sem qualquer receio. Que me ache a mulher mais incrível de todas, mesmo estando de pijama e acabando de acordar. Que tenha olhos para outras mulheres, como qualquer pessoa de carne e osso, mas que isso não saia da imaginação. Que me deseje não só de corpo, mas de alma, em momentos e lugares inusitados, e faça questão de me dizer. Que sinta a minha falta, meu coração batendo acelerado e meus pés frios em baixo do cobertor.

Não desista de mim. Me pega no colo e diz que eu sou sua. Lute por mim, por você e pelo nosso sentimento, que nem se transformou em amor ainda. Sem pressa, sem pressão. Eu te quero por inteiro e não te cobro mais do que tempo. Em troca, te ofereço calor, amor e abrigo dentro do meu coração. Vem? Não precisa ter medo. Eu sou inofensiva e se você quiser, assim como quem não quer nada, serei inesquecível também.

2 comentários:

Pedro Rodrigues disse...

amei, de verdade,comecei a ler com pouco de preguiça e quando vi ja estava no final, muito bom mesmo

' JESSICA LOUREIRO - disse...

Você e seus textos que me encantam com cada palavra que escreves *-*'
Ah, o último parágrafo sem comentários, sem comentários mesmo! Sem palavras.

beijos, beijos :*